A emissão de cheques sem fundos teve queda em junho, após apresentar ligeira alta em maio. Divulgado hoje, o levantamento mensal da empresa de informações econômicas Equifax mostra redução de 8,18% na comparação de junho ante maio – um total de 1,61 milhão de cheques sem fundos, contra 1,76 milhão no mês anterior. Ante junho de 2009, a emissão caiu 24,67%. Em maio, após dois meses consecutivos de queda, houve aumento de 1,86% em relação ao mês anterior.

Os economistas da Equifax atribuem a queda da inadimplência do cheque ao aumento da renda familiar, à queda do desemprego e ao potencial das famílias em controlar seu endividamento. “O aumento da taxa de juros para os pagamentos a prazo e o crescimento do consumo durante a Copa do Mundo não foram suficientes para pressionar o índice de inadimplência”, disse Alcides Leite, consultor da Equifax. “Talvez, nos próximos meses, esses eventos possam gerar algum impacto no volume de emissão de cheques sem fundos”, completou.

O balanço da Equifax também registrou o volume de títulos protestados em junho, que apresentou redução de 11,26% em relação a maio. Foram registrados 630.397 protestos, contra 710.394 no mês anterior. O número apresentou queda ainda maior na comparação anual – de 796.984 em junho de 2009 para 630.397, baixa de 29,19%.

A análise de inadimplência da Equifax é baseada em informações públicas fornecidas por Banco Central, cartórios, juntas comerciais e fóruns e feita a partir das transações comerciais realizadas por 28 mil clientes em todo o País.