Se de um lado, recentes pesquisas do Sebrae Nacional mostram que metade das novas empresas fecha as portas antes de completarem um ano de vida, de outro, a Feira do Empreendedor do Paraná, que terminou neste domingo (5), mostrou que a preocupação com um bom planejamento é crescente entre os empreendedores. Mais de 30% dos visitantes da feira participaram das palestras e oficinas.

Para o diretor-superintendente do Sebrae/PR, Hélio Cadore, um dos fatos marcantes da Feira, no Paraná, foi justamente a busca pelas palestras, oficinas e por informações sobre as características empreendedoras que diferenciam os empresários de sucesso. “Percebemos de forma muito clara que as pessoas estão realmente mais preocupadas em planejar melhor a realização do sonho de abrir seu próprio negócio”, diz.

Dentro desta perspectiva, Cadore salienta que a Feira do Empreendedor foi rica na oferta de 56 palestras e oficinas, totalizando cerca de 200 horas de capacitação. “Por isso é que a Feira do Empreendedor é a cara da micro e pequena empresa e do próprio Sebrae/PR.”

Para o diretor-superintendente, a abertura de uma empresa é algo que deve ser realmente levado a sério. “Não dá para brincar de ser empresário. Empreender pressupõe assumir riscos, porém, de forma calculada. Empreender não é se aventurar no mercado”, afirma. O superintendente lembrou no domingo, durante o encerramento da Feira do Empreendedor, no Expotrade Pinhais, que 41% dos brasileiros alimentam o desejo de abrir o próprio negócio, segundo pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor (GEM). Já conforme pesquisa nacional do Sebrae, a cada ano são abertas no Brasil cerca de 470 mil novas empresas e, de cada 100 novas empresas, apenas 30 delas chegam ao quinto ano de atividades.

Cadore justifica a importância de os empreendedores planejarem corretamente seus negócios ao falar dos custos socioeconômicos advindos da taxa de mortalidade das empresas no Brasil: entre os anos de 2000 e 2002, esses desperdícios com o fechamento precoce de empresas chegaram a R$ 19,8 bilhões.

Parcerias

O presidente do Conselho do Sebrae/PR, Ágide Meneguette, avalia a Feira do Empreendedor como um exemplo de trabalho em parceria. Dizendo-se encantado com os resultados da feira, Meneguette destaca que foi a primeira vez que um evento reuniu, efetivamente, todas as instituições e órgãos que trabalham pela competitividade das micro e pequenas empresas, “num esforço coletivo de orientar os empreendedores e mostrar possibilidades de negócios para quem está prestes a abrir seu próprio negócio”. Ele lembra que a feira reuniu num mesmo ambiente as áreas de educação, crédito, inovação tecnológica e oportunidades de negócios para os empreendedores. “Isso é o que podemos chamar de otimização de recursos para a maximização de ações.”

Números finais

A Feira do Empreendedor recebeu 23.500 visitantes durante seus quatro dias de funcionamento. O recorde de público foi no sábado, quando passaram pelas portarias 7.548 pessoas. No último dia de feira ocorreu ainda uma inversão de interesses do público, conforme pesquisa diária realizada pela organização. A área de capacitação, que ocupou 11 salas para 56 palestras e oficinas diferentes, totalizando 200 horas de treinamentos, atraiu durante os três primeiros dias uma média de 30% dos visitantes, enquanto o público interessado apenas em conhecer novos mercados e oportunidades ficava pouco acima de 20%. No domingo, 32,2% dos visitantes foram à feira em busca de novas oportunidades de negócios e apenas 22,1% foi em busca de treinamentos. Nos quatro dias de feira, quase 10 mil pessoas participaram das palestras e oficinas oferecidas pelo Sebrae/PR e entidades parceiras, como Emater, Senac, Senar, Centro Europeu, bancos e até empresas expositoras.