Curitiba – A economia solidária é uma forma alternativa de renda e de sobrevivência que valoriza a autogestão e a formação de cooperativas e associações que possam produzir e gerar recursos. De hoje (14) a domingo (16), cerca de 200 empreendedores solidários de 142 municípios do Paraná estarão expondo e comercializando seus produtos em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

A 3ª Feira de Economia Solidária do Paraná foi organizada pela Secretaria do Trabalho, Emprego e Promoção Social, em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego, Fórum Estadual de Economia Solidária e prefeitura de São José dos Pinhais.

Segundo o coordenador do programa estadual de Economia Solidária, José Adilson Stuzata, a feira acontece logo depois do 1º Seminário de Economia Solidária, que discutiu nos últimos dois dias, como incluir os beneficiários das políticas de segurança alimentar em ações de economia solidária.

?Cerca de 300 gestores  se comprometeram a desenvolver projetos que  incluam  pessoas desempregadas novamente no mercado de trabalho, com propostas solidárias?, afirmou.

No seminário foram homologadas comissões regionais do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional. Colegiados regionais vão descentralizar as ações de segurança alimentar, além de assegurar que o programa seja implantado em cada região do estado.

Pesquisas mostram que, no Paraná, 73% das necessidades cotidianas já são cobertas por produtos feitos por empreendimentos solidários. Para Stuzata, a vantagem desses produtos é a redução de impactos para a natureza. Em todo o estado, 808 empreendimentos solidários envolvem cerca de 5 mil pessoas que produzem pães, bolsas e cultivam alimentos, com prioridade para o cultivo orgânico.

Durante a feira, que será  aberta na noite de hoje (14), acontecerão outros eventos como cursos, palestras e oficinas.