Apesar da produção industrial do Paraná ter avançado mais de 10% em janeiro, no confronto com o mesmo mês de 2009, o emprego na indústria paranaense não acompanhou o ritmo.

Na comparação entre o primeiro mês deste ano com o mesmo mês do ano passado, o número do pessoal ocupado assalariado no setor recuou 2,4% no Estado.

A taxa foi a terceira pior entre os 11 estados e regiões pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou ontem os números. A taxa acumulada, nos últimos 12 meses, está em -6,6%.

O número de horas pagas também caiu, no Paraná, em relação a janeiro do ano passado, ficando em -0,2%. No acumulado dos últimos 12 meses, a taxa é de -5,5%. Se considerado o número médio de horas pagas, por outro lado, há aumento, de 2,2% no mês e 1,1% em 12 meses.

A folha de pagamento real também aumentou: foram 7,5% em janeiro, que melhoraram o ainda negativo índice dos últimos 12 meses, para -1,25%. De acordo com o documento de divulgação da pesquisa, os ganhos salariais em meios de transporte (17,7%) e alimentos e bebidas (8,4%) foram os que mais pesaram para o aumento, em janeiro.

Segmentos

Na comparação entre janeiro deste ano e o mesmo mês do ano passado, o segmento da indústria que mais influenciou na taxa negativa de pessoal ocupado foi o de alimentos e bebidas, que reduziu em 4,2% seu efetivo.

Em seguida, veio o setor madeireiro, que teve a maior redução entre os segmentos (-12,4%), mas tem peso um pouco menor no total. O segmento de fabricação de outros produtos da indústria de transformação (que engloba fabricantes de móveis e a indústria de reciclagem), teve a segunda maior queda (-12,1%), e foi a terceira principal influência.

Por outro lado, a indústria de máquinas e equipamentos, exceto elétricos, eletrônicos, de precisão e de comunicações, foi a que mais pesou positivamente, com taxa de 7,1%.

Com crescimento de 11% no número de pessoal ocupado, o segmento de produtos químicos teve o segundo maior peso. A terceira principal influência positiva veio de calçados e couro. O setor foi o que mais cresceu em relação a janeiro de 2009: 17,2%.

Nacional

O emprego industrial, no País, subiu 0,3% em janeiro ante dezembro de 2009, na série com ajuste sazonal, segundo o IBGE. Na comparação com janeiro do ano passado, houve queda de 1,1%.

Na comparação com igual mês do ano anterior, o recuo é o menor desde dezembro de 2008. Em 12 meses, houve queda acumulada de 5,1% na ocupação.

O índice de média móvel trimestral do emprego, considerado o principal indicador de tendência, registrou variação de 0,3% no trimestre encerrado em janeiro ante o terminado em dezembro.

Já a folha de pagamento real da indústria teve aumento de 5,9% em janeiro ante dezembro de 2009 e alta de 2,4% na comparação com janeiro do ano passado. Nos 12 meses encerrados em janeiro, porém, a folha ainda registra queda, de 2,5%.

O número de horas pagas na indústria registrou, em janeiro, queda em todas as bases de comparação: baixa de 0,3% ante o mês anterior, de 0,2% ante igual mês do ano anterior e de 5,3% em 12 meses.