Os problemas em relação à cobrança automática de pedágio, relatados por transportadoras por meio do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná (Setcepar) na última segunda-feira (19) não estão acontecendo, de acordo com a empresa que opera o sistema. A principal reclamação é de que estaria sendo feita uma cobrança indevida de valores nas faturas devido a erros no registro do número de eixos dos caminhões, mesmo com o cadastro das informações dos veículos nos aparelhos utilizados na leitura eletrônica nas praças de pedágios, os tags.  

Em nota oficial enviada à imprensa, a Via Fácil esclarece que “os veículos de carga podem ter configurações diferentes, conforme a necessidade de cada viagem e, por isso, existem equipamentos eletrônicos, tais como detectores de eixos e captação de imagens laterais dos veículos, de forma a tarifar cada passagem conforme o número de eixos efetivamente utilizados naquele momento”. Este seria o motivo de algumas faturas chegarem com valores acima do esperado pelas transportadoras.

A empresa ainda orienta que “caso o cliente discorde de uma tarifa enviada pela concessionária, a contestação é registrada”. Após esse procedimento, a Via Fácil devolve o valor ao cliente primeiro para depois apurar se houve mesmo algum erro, conforme explica a nota. O sistema é utilizado em 94% das rodovias concessionadas de todo o país. De acordo com o Setcepar, os erros na cobrança estariam acontecendo em todo o território nacional, não somente no Paraná.