Será realizado a partir do dia 29, no Parque Newton Freire-Maia, em Pinhais, encontro de autoridades ligadas à produção agrícola de orgânicos já realizado na América Latina. Trata-se de um evento preparativo para a Biofach, maior feira mundial de comercialização de orgânicos que é realizada anualmente nas cidades de Nüremberg (Alemanha), Tóquio (Japão), Washington (Estados Unidos) e Rio de Janeiro (Brasil).

A Biofach-Paraná, que será aberta pelo governador Roberto Requião e que vai até sexta-feira (30), contará com a presença de representantes de todos os Estados que formam o Codesul – Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul, de todos os países do Mercosul -Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina – e dos países associados ao Mercosul – Chile e Bolívia.

Também está confirmada a presença da cubana Maura Marta Monzote, que em 1996 recebeu o prêmio Nobel Alternativo pelos pesquisas que desenvolveu na produção de orgânicos na ilha comandada por Fidel Castro. A pesquisadora, chefe do Departamento de Pecuária e Pesquisa em Pastagens e Forrageiras do Ministério de Agricultura, vai encerrar a reunião falando sobre Agroecologia em Cuba.

Segundo o coordenador do Centro de Agroecologia do Paraná e um dos organizadores do evento, Airton Brizola, a meta do governo é aprofundar a discussão da produção de orgânicos da América Latina e as medidas que os governos podem adotar para incentivar os micro, pequenos e médios agricultores da América Latina a aumentar o cultivo sem agrotóxicos. Os riscos da produção de alimentos transgênicos nos países latinos também serão debatidos pelos especialistas.

Além disso, os participantes vão debater os benefícios para o ser humano no consumo de produtos orgânicos e os riscos ao meio ambiente com o constante aumento do uso de herbicidas e agrotóxicos em toda a América Latina.

“As discussões realizadas no Paraná servirão como base para o encontro dos especialistas na BioFach-Rio de Janeiro, que acontecerá em setembro próximo. Nossa intenção é discutir formas de aumentar a produção de orgânicos e assim oferecer um alimento mais saudável à população”, explicou Brizola.

Centro

O governo do Estado quer aumentar o plantio de orgânicos no Estado. Para isso, foi criado o Centro Paranaense de Agroecologia, implantado em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Ocupando cerca de 1.500 hectares dos entornos da área de proteção ambiental da Represa do Iraí, o projeto, além de promover educação ambiental, tem como metas prioritárias gerar conhecimentos científicos e tecnológicos, voltados à agropecuária orgânica. O Centro se destina a atender prioritariamente a agricultura familiar, transferir conhecimentos a produtores e técnicos e aprimorar a formação de profissionais em ciências agrárias.

O Centro se encarrega de produzir os insumos necessários às suas atividades (mudas de essências florestais e nativas, compostos orgânicos, plantas de cobertura e coberturas mortas), bem como destina parte de sua área para a produção de alimentos e de plantas medicinais, aromáticas e condimentares.

Produção

A produção de orgânicos no Paraná saltou de 4.365 toneladas na safra 1996/97para 52.270 toneladas na safra 2002/03, segundo informações do coordenador de Agricultura Orgânica Estadual, o engenheiro agrônomo Iniberto Hammerschidt.

Entre os produtos mais cultivados, estão a soja, verduras e cana-de-açúcar. Do total colhido na última safra, 12 mil toneladas foram de soja, cultivadas principalmente nas regiões Norte, Oeste e Sudoeste do Estado. A produção orgânica de açúcar mascavo chegou a 5 mil toneladas e está concentrada em microusinas da Região Sudoeste.

“Quase toda a soja orgânica colhida no Paraná foi exportada para o Japão, Europa e Estados Unidos. Pouco menos da metade do açúcar paranaense foi comprado pelos consumidores alemães e japoneses e o restante ficou no país”, explica Hammerschidt.

Secretários farão encontro paralelo

Num encontro que terá a participação da pesquisadora cubana Maura Marta Monzonte, Prêmio Nobel Alternativo 1996 (Right Livelihood Award), os secretários de Agricultura do Codesul (Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul) se reúnem durante o Seminário Bifach América Latina-Paraná, na manhã do dia 29 de setembro.

A reunião dos secretários, que terá como um dos destaques a produção de café orgânico dos Estados do Sul, acontece paralelamente ao seminário que prepara a participação do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul, na maior feira mundial de orgânicos, a Biofach, que começou na Alemanha e que terá sua versão latino-americana no Rio de Janeiro em setembro.

Participam o vice-governador e Secretário da Agricultura do Paraná, Orlando Pessuti, o Secretário da Produção e Turismo do Mato Grosso do Sul, José Antonio Felício, os secretários de Agricultura de Santa Catarina, Moacir Sopelsa e do Rio Grande do Sul, Odacir Klein.

O Codesul, que este ano está sendo presidido pelo governador de Mato Grosso do Sul, José Orcírio Miranda, o Zeca do PT, é o único bloco regional do Brasil e ao lado da Crecenea (Comissão de Comércio Exterior do Noroeste Argentino) forma o segundo bloco regional da América Latina.

Da Crecenea, fazem parte as províncias de Missiones, Santa Fé, Chaco, Corrientes, Entre Rios, Formosa. Em Missiones, na fronteira com o Paraná, a localidade de San Javier, é apontada como a capital da agricultura orgânica da Argentina e recebe recursos de uma organização não-governamental da Itália para incrementar o cultivo de açúcar mascavo para exportação.