Antes da publicação dos resultados dos testes de estresse dos bancos, em 23 de julho, a Espanha pedirá à Comissão Europeia uma prorrogação do prazo para uso de seu fundo estatal de ajuda aos bancos (FROB), para prover capital para as instituições que se encontrarem em situação de fragilidade. A declaração é da ministra das Finanças espanhola, Elena Salgado.

Atualmente, 39 das 45 caixas de poupança da Espanha estão em processo de fusão; elas vão receber 10,19 bilhões de euros do FROB para sustentar suas bases de capital. A Espanha reservou 12 bilhões de euros para o FROB, que poderá ser expandido para até 99 bilhões de euros, apesar de a Comissão Europeia ter autorizado seu uso apenas até 30 de junho.

Na sequência da reunião dos ministros de Finanças da União Europeia, Salgado disse a jornalistas em Bruxelas que a Espanha pediria a prorrogação como uma medida “preventiva”, de acordo com o site do governo espanhol. A ministra afirmou que qualquer deficiência no sistema bancário da Espanha não deverá ser ampla. “Acreditamos que as necessidades de nosso sistema financeiro foram amplamente atingidas”, afirmou.

Depois de forçar uma ampla reestruturação dos bancos de poupança, autoridades espanholas anunciam que seu sistema bancário está basicamente saudável e encabeçaram o movimento pelos testes de estresses em toda a UE a fim de demonstrar isso. Quase um terço, ou 27 dos bancos a serem testados, são espanhóis. Muitos analistas, entretanto, acreditam que os bancos da Espanha precisarão de mais recursos para assegurar sua solvência. As informações são da Dow Jones.