As 1,2 mil empresas de Tecnologia de Informação (TI) no Paraná são responsáveis por cerca de 7% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual. Estas empresas possuem 12 mil funcionários registrados. De 2007 a 2008, a evolução do setor foi de 1% de crescimento e 16% de aumento no número de colaboradores.

Especificamente para as empresas de software, a alta foi de 17% na atividade e 26% no número de funcionários no mesmo período. Estes dados fazem parte da pesquisa Panorama Setorial – Tecnologia da Informação 2010, encomendada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas -seção Paraná (Sebrae/PR), com o apoio da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro Regional Paraná) e dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) do Paraná.

O objetivo da pesquisa foi mapear o setor e permitir que as informações coletadas sejam usadas na formação de um planejamento estratégico, tanto do segmento quanto de cada empresa.

Não havia dados específicos do Paraná, apenas do Brasil de maneira geral. No ano passado as primeiras constatações foram lançadas e agora já houve a identificação da evolução das empresas.

“As informações dos polos de TI geram uma análise das empresas para ver se o Paraná está no caminho para se tornar uma referência”, explica Ricardo Almeida Pereira, coordenador estadual do setor de TI do Sebrae/PR.

As empresas que responderam ao questionário da pesquisa vão receber um relatório com os seus dados e a comparação com o mercado. Estas informações permitirão um planejamento de metas e objetivos próprio.

Um dos dados destacados por Pereira é a quantidade de empresas com certificação de qualidade. Em 2008, eram somente 3; agora, são 24 empresas. Outras 20 devem conseguir a documentação até o final deste ano.

Cada uma das empresas que participam dos APLs de TI/Software faturaram no ano passado, em média, R$ 1,47 milhão. O faturamento total atingiu os R$ 250 milhões. Isto corresponde a um aumento de 34% na comparação com 2008.

Em 2009, as empresas de TI atenderam clientes nas áreas de serviços (61% dos entrevistados), comércio (53%), indústria (46%) e agronegócio (22%). O maior crescimento do Estado no número de empresas aconteceu na região sudoeste, com índice de 22% entre 2007 e 2008.

Os empresários do setor esperam para 2010 um crescimento médio de 33% no faturamento. Isto seria motivado pelas necessidades atuais de mercado, desenvolvimento de novos produtos e aumento de portfolio, além da melhora de gestão e estrutura das empresas.

Pereira acredita que a busca de recursos no mercado deve entrar no planejamento estratégico das empresas de TI. A pesquisa apontou que 31% das empresas buscou fontes de financiamento. No entanto, deste universo, somente 20% conseguiu os recursos.