Brasília (ABr) – Os Estados Unidos concordam com a posição brasileira sobre a rotulagem de carregamentos internacionais de alimentos geneticamente modificados, os chamados transgênicos. O Brasil, assim como outros 126 países signatários do Protocolo de Cartagena, mas não os EUA , defende que a expressão ?Pode conter OVM? (Organismos Vivos Modificados) esteja nesses carregamentos.

A informação foi dada ontem pelo coordenador de Biossegurança do Ministério da Agricultura, Marcus Vinicius Coelho, que participa da reunião do Comitê Consultivo Agrícola Brasil-EUA. A expressão ?Pode conter OVM? é preferível para o Brasil em relação à outra, ?Contém OVM?, porque evita que sejam implementados caros processos de detecção e rastreabilidade nas colheitas, o que aumentaria o preço dos produtos brasileiros no mercado internacional.

Técnicos dos países estão reunidos no Ministério da Agricultura, em Brasília, trocando informações sobre o Protocolo de Cartagena. Trata-se de um acordo, em vigor desde setembro de 2003, que tem o objetivo de evitar danos ambientais no trânsito e comércio de transgênicos. Mesmo não tendo ratificado o documento, explicou Marcus Vinicius, os Estados Unidos estão preocupados com os efeitos do protocolo sobre o comércio global de produtos agropecuários.

Outro grupo do comitê discute aspectos relacionados ao Codex Alimentarius. O fórum consiste num ponto de referência para o comércio internacional de alimentos. Segundo o fiscal federal agropecuário do Ministério da Agricultura, Rogério Pereira da Silva, foi colocado em debate a realização de vídeos-conferências entre Brasil, Estados Unidos e a União Européia. Isso, segundo ele, facilitaria o entendimento entre os blocos e daria mais agilidade nas decisões.

Rogério da Silva acrescentou que o Brasil pediu apoio norte-americano para se tornar sede do Comitê de Aditivos e Contaminantes, hoje sediado na Holanda. ?Não existe comitê do Codex em países em desenvolvimento. O Brasil tem interesse em coordenar o comitê sobre Contaminantes de Alimentos pela grande importância que representa no estabelecimento de limites de agrotóxicos, os quais possuem um grande impacto no comércio mundial de alimentos?, destacou.