O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, disse hoje que, embora a economia do país continue crescendo em ritmo moderado, persistem limitações significativas para a recuperação. Para ele, os EUA têm “um caminho considerável até atingir a recuperação plena da economia, e muitos americanos ainda estão lutando com o desemprego, a execução de hipotecas e as poupanças perdidas”.

Bernanke falou na 64ª reunião anual da Conferência Legislativa do Sul, onde incentivou os políticos dos Estados do Sul do país a continuarem promovendo o crescimento, apesar das contínuas pressões de curto prazo sobre os orçamentos. A recuperação da economia depois da profunda recessão perdeu força no segundo trimestre quando os consumidores gastaram menos. O Produto Interno Bruto (PIB) cresceu a uma taxa anualizada de 2,4% entre abril e junho, ante crescimento de 3,7% nos primeiros três meses de 2010 e de 5% no último trimestre de 2009.

Segundo o presidente do Fed, o aumento da renda e a lenta melhora nas condições de crédito devem ajudar a sustentar os gastos dos consumidores nos próximos trimestres. Ao lado de fortes investimentos das empresas, isso deve sustentar o crescimento. Mas Bernanke alertou que a economia ainda enfrenta várias limitações.

“O mercado de moradia continua fraco, com a ameaça de residências vagas ou execução de hipotecas pesando sobre os preços das moradias e as novas construções”, disse. “Similarmente, os fundamentos econômicos fracos e o crédito apertado estão restringindo o investimento em estruturas não residenciais, tais como escritórios, hotéis e shopping centers.” As informações são da Dow Jones.