O Ministério da Agricultura divulgou ontem que exames feitos em 49 bovinos com risco de estarem contaminados com a encefalopatia espongiforme bovina (EEB), doença conhecida como “síndrome da vaca louca”, deram resultado negativo. Depois que uma vaca foi sacrificada em Mato Grosso na última semana com suspeita da doença, uma varredura foi feita por técnicos da pasta e autoridades sanitárias do Estado.

De acordo com a nota divulgada ontem, foram investigadas 11 propriedades onde esteve a vaca sacrificada. Depois que mais de 4 mil animais foram inspecionados, 49 foram selecionados, por terem nascido um ano antes ou um ano depois da vaca que levantou a suspeita.

O ministério informou que todos estavam em plena condição física e de saúde e, ainda assim, amostras encefálicas foram recolhidas para análise laboratorial. O resultado negativo ficou pronto na quarta-feira.

“Todas as ações foram sustentadas nas recomendações sanitárias do Código de Animais Terrestres da OIE, visando cumprir com os seus dispostos, mantendo assim o Brasil com a melhor classificação mundial sanitária para EEB, que é de risco insignificante”, diz a nota.

A pasta ressaltou que trabalha com ações de prevenção e vigilância desde 1990 e informou que um eventual registro da enfermidade não configura risco sanitário, já que as medidas de mitigação de risco atuais são suficientes para evitar a reciclagem e amplificação do agente causador. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.