O embarque de açúcar para exportação é uma das atividades mais afetadas, pelo menos no Porto de Santos, com a paralisação nacional dos caminhoneiros, iniciada no domingo. Segundo dados da Companhia Docas do estado de São Paulo (Codesp) cerca de 124 mil toneladas de açúcar destinadas à exportação deixaram de ser embarcadas esta manhã no Porto de Santos. Pelo menos 300 caminhões não compareceram ao porto para descarregar as mercadorias.

A greve também é plena no corredor do porto destinado à exportação de grãos e farelos. Somente os terminais que utilizam cargas estocadas nos armazéns estão operando e pelo menos 45 caminhões tiveram seus acessos ao porto interrompidos. A recepção dessas mercadorias está sendo realizada por via ferroviária. No terminal onde são realizados os embarques e desembarques de fertilizantes, a paralisação é total. Segundo o porto, pelo menos dois navios adiram a atracação no porto por causa da paralisação.

Segundo a Codesp, apesar da paralisação atingir até 90% das operações do porto, os movimentos de carga e descarga dos navios que operam com contêineres não foram paralisadas. O mesmo acontece com as cargas de açúcar embarcadas por esteiras, que utilizam produtos previamente estocados nos armazéns do porto.

A companhia informa que algumas operações ocorrem exclusivamente dentro do terminal especializado, utilizando veículos próprios. “Apenas o recebimento de cargas das ruas está interrompido”, informou a companhia em comunicado. (Correio Web/FolhaNews)