Foto: Arquivo

Complexo soja – junto com suco e frutas – continua sendo principal produto comercializado para o mercado externo.

Fevereiro de 2008 registrou três recordes históricos da balança comercial do agronegócio brasileiro: as exportações totalizaram US$ 4,4 bilhões 28,8% acima do valor exportado no mesmo mês de 2007 o que propiciou um superávit de US$ 3,3 bilhões. Pela primeira vez, também as exportações no período de 12 meses alcançaram cifra acima dos US$ 60 bilhões.

Os aumentos das vendas externas de carnes (31,5%); produtos florestais (28,3%), complexo soja (40,6%), cereais, farinhas e preparações (168%) e suco de frutas (105%) foram os principais produtos responsáveis pelo desempenho positivo da balança comercial do mês passado.

Confirmando a tendência de alta, as exportações de frango in natura foram acrescidas em 62,1%, índice proporcionado pela elevação de 34,4% nos preços e o incremento de 20,6% na quantidade exportada. O mesmo ocorreu com as carnes suína e de peru in natura que registraram aumentos nas vendas de 44% e 37,9%, respectivamente.

Considerando todo o complexo de carnes (aves, suína e bovina), o Brasil vendeu ao exterior, em fevereiro, US$ 1 bilhão, valor 31,5% maior diante dos US$ 765,9 milhões de fevereiro de 2007. Com relação à carne bovina in natura, os resultados foram afetados pelas medidas de suspensão temporária das importações do produto brasileiro pela União Européia. Houve redução de 9,4% no valor exportado (de US$ 280,5 milhões, em janeiro, para US$ 254,3 milhões, em fevereiro), resultado obtido por uma queda de 33,7% da quantidade exportada (3,6 mil t), mas com aumento de 36,8% do preço (US$ 8,1 mil/t).

O principal destino da carne bovina in natura foi a Rússia que, sozinha, importou US$ 74,4 milhões. Outros países apresentaram forte crescimento na importação de carne bovina in natura do Brasil, como Hong Kong (+ 405%, de US$ 4,3 milhões para US$ 21,8 milhões), Emirados Árabes Unidos (+ 202%, de US$ 2,9 milhões para US$ 8,8 milhões), Venezuela (+ 170%, de US$ 8,1 milhões para US$ 22,1 milhões) e Arábia Saudita (+ 163%, de US$ 5 milhões para US$ 13,2 milhões) sempre em comparação com janeiro.

O complexo soja também registrou alta em fevereiro. As vendas externas desses produtos foram 40,6% acima do valor exportado em igual período de 2007. Esse resultado foi possível graças ao aumento de 64,3% no preço médio da soja e seus derivados. Dentre os setores menos tradicionais na pauta de exportação, destacaram-se pelo incremento, as vendas de animais vivos (104,4%), produtos apícolas (81,4%) e lácteos (61,7%).

Contribuição das exportações

O resultado recorde da balança comercial do agronegócio no período de 12 meses (fev2007-fev2008), com as exportações atingindo os US$ 60,2 bilhões, se deu em razão do excelente desempenho do comércio externo nos dois primeiros meses de 2008. No bimestre, as vendas somaram US$ 9,1 bilhões, com acréscimo acumulado de 24,9% em relação ao mesmo período do ano passado. Carnes (+US$ 2,9 bilhões), complexo soja (+US$ 2,6 bilhões), cereais, farinhas e preparações (+US$ 1,6 bilhão) e produtos florestais (+1,1 bilhão), na comparação com igual período do ano passado, foram os setores que mais contribuíram para o alcance dessa marca histórica.

As importações alcançaram de US$ 1,1 bilhão, o que significou uma variação de 88,5% em relações às registradas no mesmo período do ano anterior. Trigo (177,8%), borracha natural (111,7%), arroz (128%) e milho (496,7%) foram os produtos que determinaram esse aumento.