Brasília – Os embarques de carne suína no primeiro semestre somaram 234.809 toneladas e cresceram 25,72% em relação a igual período do ano passado. Os dados foram divulgados ontem pela Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs). Segundo a entidade, a receita cambial das exportações somou US$ 239,359 mil no acumulado de janeiro a junho de 2003, com crescimento de 12,27% em relação ao mesmo período do ano passado.

O preço médio caiu 11% no período, por causa do excesso de oferta, do estabelecimento de cotas de exportação pela Rússia e da estabilidade cambial. A Abipecs argumenta que, apesar da concentração das vendas brasileiras para o mercado russo ter diminuído de 83% no ano passado (primeiro semestre) para 63% nos primeiros seis meses deste ano, a Rússia continua sendo o principal destino da carne suína brasileira.

Os embarques para o mercado russo neste ano somaram 143.592 toneladas, com recuo de 7% em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo a Abipecs, a taxa negativa foi fortemente influenciada pelo recuo dos embarques de meia carcaça que caíram 24% no período. Em junho, as exportações somaram 42.308 toneladas, crescimento de 32,66% sobre o junho de 2002. A receita cambial somou US$ 43.375 mil e cresceu 20,24%.