O faturamento real da indústria brasileira recuou 10% em fevereiro deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado, mas teve leve alta de 0,7% no confronto dessazonalizado de fevereiro com janeiro, segundo os indicadores industriais divulgados nesta terça-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). No acumulado do primeiro bimestre deste ano, o faturamento real recuou 10,9% na comparação com o mesmo período de 2008.

Outro importante indicador da atividade, as horas trabalhadas, também registraram queda de 8,4% na comparação com fevereiro do ano passado, mas tiveram pequena alta de 0,2% na comparação com janeiro.

Para a CNI, o fato de algumas variáveis registrarem pequenos aumentos em relação a janeiro não é um sinal consistente de recuperação. A entidade afirma que esses leves aumentos devem-se mais à fraca base de comparação, que é o mês de janeiro.

O índice de emprego caiu 1,5% em fevereiro, comparado ao mesmo mês de 2008, e 1,1% em relação a janeiro. Segundo a CNI, tanto a queda na comparação com o mês anterior quanto a redução apurada na comparação com o mesmo mês do ano passado são recordes da série histórica, iniciada em 2003. Além disso, a redução do mercado de trabalho em fevereiro, na comparação com o mês anterior, é a quarta consecutiva para esse tipo de comparação.

Capacidade

A CNI também detectou que o nível de utilização da capacidade instalada (Nuci) manteve-se estável em fevereiro em 77,8%, o mesmo nível de janeiro. Em relação a fevereiro do ano passado, porém, o indicador teve importante queda já que naquele mês, o Nuci foi de 83,1%.

A massa salarial paga pela indústria teve ligeiro aumento, de 0,4%, em fevereiro ante fevereiro de 2008.