Na reunião do mês passado, os integrantes do Comitê de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) elevaram a possibilidade de que seja necessário mais estímulos do governo, caso a economia mostre sinais mais sérios de desaceleração. Tendo em vista uma piora “relativamente modesta” na perspectiva da economia, os dirigentes do Fed concordaram que não era necessário mais acomodação naquele momento, diz a ata da reunião de 22 e 23 de junho, divulgada hoje.

“Contudo, os membros notaram que, além de continuar a desenvolver e a testar instrumentos para uma saída do período de política monetária anormalmente acomodatícia, o Comitê precisaria considerar se mais estímulo econômico poderia tornar-se apropriado se a perspectiva piorasse consideravelmente”, informa a ata. O documento é acompanhado das novas projeções do Fed para a economia norte-americana, que rebaixa as previsões de crescimento para o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA em 2010.

O comunicado divulgado ao fim da reunião do mês passado foi mais pessimista que os das reuniões anteriores, na medida em que a recuperação do mercado de mão de obra começava a mostrar sinais de debilidade e a turbulência europeia levava as condições financeiras a dar “menos suporte” à economia. Embora boa parte das discussões da reunião anterior, em abril, tenha focalizado o momento em que o Fed começaria a vender o US$ 1,25 trilhão em ativos lastreados em hipotecas que havia comprado durante a crise, conversas sobre medidas adicionais para dar apoio à economia ressurgiram na reunião de junho.

No entanto, a ata mostra que nenhum dos integrantes do Fomc apresentou possíveis medidas concretas, tais como reiniciar as compras de ativos. Em lugar disso, houve um consenso geral de que as vendas de ativos poderiam ser mantidas em suspenso por algum tempo, tendo em vista a pressão potencial de alta que elas poderiam colocar sobre os juros. Alguns integrantes do Fomc, porém, manifestaram apoio à ideia de que as vendas poderiam começar logo.

“A maioria dos participantes continuou a julgar apropriado adiar vendas de ativos por algum tempo. Vários deles notaram o enfraquecimento modesto da perspectiva da economia desde a última reunião do Comitê como uma razão adicional para fazer isso”, diz a ata. Até agora, o Fed deixou a dívida relacionada a hipotecas que a instituição adquiriu vencer ou ser paga sem reinvestir a receita obtida. As informações são da Dow Jones.