As autoridades do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) rebaixaram a perspectiva econômica do país pela primeira vez em mais de um ano, afirmando que o mercado de trabalho fraco vai limitar o crescimento. Juntamente com a ata da reunião do Comitê de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) dos dias 22 e 23 de junho, o Fed divulgou hoje novas projeções para o Produto Interno Bruto (PIB), que apontam para crescimento na faixa de 3% a 3,5% em 2010. Isso representa uma leve redução em relação à projeção anterior, que previa crescimento de 3,2% a 3,7%. A última vez em que o Fed havia reduzido sua previsão de crescimento para 2010 havia sido em abril de 2009.

“Muitos participantes anteciparam que a expansão econômica será contida pela cautela das empresas em contratar e gastar à luz da considerável incerteza relacionada à perspectiva econômica, pelo foco em reparar seus balanços enfraquecidos pelo declínio nos preços de residências e ações e pelas condições de crédito apertado para as pequenas empresas e residências”, afirma o Fed no sumário das projeções contidas no encontro de junho.

O Fed também ajustou levemente sua previsão para a taxa de desemprego em 2010, para a faixa de 9,2% a 9,5%. Anteriormente, o BC dos EUA projetava desemprego entre 9,1% e 9,5%. Para 2011, o Fed prevê que o crescimento do PIB ficará entre 3,5% e 4,2%, ante a faixa de 3,4% a 4,5% da projeção anterior. O Fed continua prevendo crescimento de 3,5% a 4,5% em 2012. As informações são da Dow Jones.