O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná, Rodrigo da Rocha Loures, considera necessária a aprovação da lei que regulamenta as Parcerias Público-Privadas (PPPs). Para Loures, a regulamentação desta medida vai permitir aumento de investimentos e estimular o desenvolvimento da economia. “Mas as PPPs devem ter regras claras para não se tornar um elefante que não agilize novos investimentos”, avalia.

Rocha Loures defendeu esta proposta durante o programa Hora da Câmara, transmitido pela TV Câmara. Ele debateu ações para o desenvolvimento do Brasil com o ministro Jacques Wagner, do Conselho de Desenvolvimento Econômico Social, e os deputados federais Paulo Afonso (PMDB-SC) e Mariângela Duarte (PT-SP).

Segundo o presidente da Fiep, o Estado não tem mais capacidade de investimentos, seja de curto ou longo prazo. “Existem gargalos que precisam ser supridos com urgência, como a necessidade de mais investimentos no setor elétrico”, afirma, lembrando que o governo federal já admite a possibilidade de apagões.

Rocha Loures considera que o mais importante na aprovação do projeto das PPPs é a definição de regras claras para não espantar os investidores. “Esta se discutindo uma proposta de longo prazo, que possa atrair os investidores a recuperar o capital aplicado”, diz.

O presidente da Fiep também defendeu a formatação de uma agenda para o desenvolvimento. De acordo com ele, esta agenda deveria casar as políticas econômica e tributária à política industrial. “Hoje as ações são, por vezes, antagônicas”, avalia.

Dentro das propostas defendidas pelo presidente da Fiep também está aumento de recursos em infra-estrutura. Rocha Loures considera urgente investimentos nas estradas, portos, aeroportos, que facilitem a produção e o desenvolvimento econômico.