O incentivo ao primeiro emprego e a criação de novas vagas no mercado de trabalho é o argumento em que o Sebrae continua apostando para conseguir junto ao governo federal a redução da carga tributária sobre as pequenas e microempresas. Segundo consultor nacional do Sebrae, Luiz Augusto Pachero, é nesse ponto que poderão ocorrer mudanças na legislação.

As micro e pequenas empresas representam hoje 98% das 4,1 milhões de empresas formais na indústria, comércio e serviços, respondem por 20% do PIB e empregam 45% da força de trabalho com carteira assinada. Isso sem considerar as empresas informais, cerca de 10 milhões de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que também aumentam a quantidade de vagas abertas.

“As pequenas empresas se tornaram atrativas porque precisam da mão-de-obra e por isso abrem vagas todos os anos. Não é a toa que o crescimento desse setor seja enorme, principalmente no tocante ao número de empregos criados”, destacou Luiz. “É desse modo, destacando o ponto em que as empresas de pequeno porte, que podemos obter melhores condições ao nosso mercado, criando um ambiente favorável para o desenvolvimento desses negócios, principalmente na redução da carga tributária”, completou o consultor nacional.

No Paraná, o panorama não é diferente. E, para demonstrar o crescimento da atividade dos pequenos negócios no Estado, começou ontem, em Pinhais, a Feira do Empreendedor, realizada no Marumby Expotrade. Entre exposição, ciclo de palestras e oficinas, o Sebrae espera receber, nos três dias de evento, cerca de 30 mil pessoas. De acordo com o consultor do Sebrae no Paraná, Ricardo Dellaméa, a feira acaba funcionando como uma grande troca de idéias entre o empreendedor, fornecedores de tecnologias, bancos com linhas de créditos. “Grande parte das pessoas que comparecem na feira saem com uma idéia para iniciar um novo negócio e, a partir disso, trabalhando em conjunto com o Sebrae, isso é desenvolvido. Essa é a lógica do evento, e isso está se tornando comum em todo o País”, afirmou. Além da feira em Curitiba, outras oito capitais já realizam o evento nesse ano.

De acordo com o diretor superintendente do Sebrae-PR, Hélio Cadore, a Secretaria da Fazenda tem cerca de 170 mil empresas cadastradas. Dessas, 800 empresas são responsáveis por 92,5% de arrecadação em impostos no Paraná, restando 7,5% que é arrecadado pelas demais.

Em contrapartida, os pequenos e médios empreendedores geram um grande volume de empregos. “Uma pesquisa realizada recentemente comprovou a eficiência que esse campo está abrindo para as pessoas. O número de vagas criadas pelas pequenas indústrias já se equivale ao das grandes indústrias”, ressaltou Hélio. “O necessário para se desenvolver esse campo seria a criação de um ambiente favorável, baseado em três pontos fundamentais para que esse nicho se firmasse em todo o País: a simplificação burocrática, a redução tributária e o incentivo às linhas de crédito”, conclui Cadore.