A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) desacelerou fortemente em maio, informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O indicador apontou inflação de 0,01% no mês passado, após registrar alta de preços de 0,50% em abril. A taxa mensal do IGP-DI ficou no piso das estimativas dos analistas do mercado financeiro, que esperavam uma elevação entre 0,01% e 0,47%. A mediana das projeções apontava 0,25%.

Embora não seja mais usada para reajustar as tarifas de telefone, a taxa acumulada do IGP-DI ainda é o indexador das dívidas dos Estados com a União. Com o resultado divulgado hoje, o indicador acumula alta de 3,08% no ano e de 9,14% em 12 meses.

No caso dos três indicadores que compõem o IGP-DI de maio, o Índice de Preços ao Produtor Amplo – Disponibilidade Interna (IPA-DI) caiu 0,63% em maio, após registrar alta de 0,24% em abril. Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor – Disponibilidade Interna (IPC-DI) teve alta de 0,51% no mês passado, ante aumento de 0,95% em abril. Já o Índice Nacional do Custo da Construção – Disponibilidade Interna (INCC-DI) quase triplicou em maio, com alta de 2,94% no mês passado, em comparação com a taxa positiva de 1,06% de abril. O período de coleta de preços para o IGP-DI de maio foi do dia 1º ao dia 31 do mês passado.