O pessimismo dos empresários quanto ao futuro dos negócios no segundo semestre deste ano ajudou a derrubar o Índice de Confiança da Indústria (ICI) de junho, que caiu 0,7% em relação a maio. Segundo informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV), as estimativas empresariais em relação ao ambiente dos negócios nos próximos seis meses tornaram-se menos otimistas.

A FGV revelou que, das 1.187 empresas consultadas para cálculo do ICI, 54,8% esperam melhora da situação dos negócios no período de junho a novembro, enquanto 2% aguardam uma piora. Embora os porcentuais possam indicar boas projeções, a fundação observou que, no mês passado, as expectativas eram muito mais positivas e os percentuais para estas respostas haviam sido de 64,5% e de 4,2%, respectivamente, considerando-se o período de maio a outubro deste ano.

Em seu comunicado, a FGV comentou que, entre as respostas relacionadas ao momento presente, o destaque ficou por conta da avaliação atual de estoques. O porcentual de entrevistados que consideraram os estoques insuficientes aumentou de 6,1% para 6,2%, na passagem de maio para junho. Já a parcela de pesquisados que indicam estar com estoques excessivos diminuiu de 5,6% para 3,2% no mesmo período.