A aceleração de preços no grupo Alimentação, de 0,86% para 0,98% da terceira para a quarta quadrissemana de março, foi a principal responsável para a taxa de inflação de 0,71% medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) no fechamento do mês. Segundo informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV), os destaques foram as oscilações de preços de hortaliças e legumes (de 6,65% para 7,03%), carnes bovinas (de -2,33% para -1,63%) e pescados frescos (de 2,46% para 4,31%).

Outros grupos que registraram elevação em suas taxas de variação de preços foram Vestuário (de 0,89% para 1,01%), Educação, Leitura e Recreação (de 0,25% para 0,29%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,64% para 0,68%) e Transportes (de 1,18% para 1,23%). Nessas classes, destacaram-se, respectivamente: roupas (de 1,14% para 1,25%), hotel (de 1,09% para 1,21%), medicamentos em geral (de 0,33% para 0,42%) e gasolina (de 0,95% para 1,58%).

Por outro lado, houve decréscimos nas taxas de variação de preços nos grupos Habitação (de 0,47% para 0,41%) – influenciado principalmente pelo aluguel residencial (de 0,75% para 0,58%) – e Despesas Diversas (de 0,40% para 0,07%) – com queda da taxa no item cigarros (de 0,69% para zero).