O primeiro semestre de 2007 fechou com alta nas vendas industriais do Paraná. No total, a indústria de transformação do Estado registrou elevação de 10,39% no faturamento em comparação à igual período do ano passado. Os setores com maior expansão foram Máquinas e Equipamentos, com alta de 22,95%; Confecção e Artigos do Vestuário, com elevação de 21,56%; Fabricação de Veículos Automotores, que cresceu 18,60%, e Produtos Alimentícios e Bebidas, com aumento de 17,57%.

Os dados constam da pesquisa Indicadores Conjunturais, do Departamento Econômico da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). ?Estes números mostram que a indústria paranaense é forte e tem capacidade para crescer ainda mais. Vamos continuar trabalhando para que o estado adote uma política industrial própria. Com isso, podemos dobrar o tamanho do setor nos próximos anos?, afirmou o presidente da Fiep, Rodrigo da Rocha Loures.

Com este desempenho, o primeiro semestre de 2007 passa a ser o melhor de toda a série histórica de vendas industriais, pesquisada desde 1986. ?O resultado destes primeiros seis meses de 2007 superam em 10,7% o desempenho do primeiro semestre de 2002, até então o melhor da série?, observa Maurílio Schmitt, coordenador do Departamento Econômico da Fiep.

Segundo ele, este crescimento foi motivado pela recuperação da agroindústria, em conseqüência do bom desempenho da agricultura; pelo setor de petróleo e álcool e pelo grande aumento da concessão de crédito pessoal que tem aumentado a demanda por veículos. Junto com o desempenho da indústria de alimentos, o parque automotivo e a produção de combustível responderam por 9,17%, dos 10,39% da expansão registrada por toda a indústria de transformação paranaense neste primeiro semestre.

Ainda de acordo com Schmitt, cabe destacar também o fato de o gênero industrial ?Máquinas e Equipamentos? haver registrado a maior taxa de aumento neste semestre (22,95%), contribuindo, então, com 0,76% dos 10,39% acumulados no período. O aumento da venda de máquinas e equipamentos reflete o movimento das indústrias em geral no sentido de ampliar suas instalações e obter maior competitividade.