A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) revisou hoje sua projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deste ano, de uma alta de 6% para um crescimento de 7,5%. “Se a nossa projeção se confirmar, será a primeira vez desde 1986 que o País terá crescido 7,5% em um ano”, disse o diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp, Paulo Francini. A nova projeção da Fiesp considera que a indústria como um todo deverá crescer 11,6% neste ano.

A indústria extrativa mineral, nas projeções da Fiesp, terá alta de 11,8%. A indústria da transformação e a construção civil devem crescer, respectivamente, 11,3% e 12,6%. O PIB da agropecuária deve registrar alta, segundo a Fiesp, de 5,7% e para o de serviços é calculado aumento de 5,2%. O consumo das famílias, para a Fiesp, deve crescer 7,4% e o do governo, 2,8%. A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) registrará na avaliação da entidade elevação de 21,2%. Para 2011, a Fiesp calcula um crescimento de 4,7% do PIB, de 4,3% da indústria e de 3,8% da indústria da transformação.

Ainda de acordo com a Fiesp, as exportações devem somar US$ 189,5 bilhões neste ano. As importações devem totalizar US$ 177,6 bilhões e o saldo da balança comercial deverá ficar positivo em US$ 11,9 bilhões. Por essas projeção, as exportações devem ter alta de 23,9%, as importações crescerão 39,2% e o saldo da balança comercial registrará queda de 53%. Segundo a Fiesp, a indústria paulista deverá crescer 13,5% e o emprego na indústria do Estado apresentará alta de 5,6%. A produção física da indústria, calculada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), deverá aumentar 15% e o emprego industrial, também calculado pelo IBGE, deve crescer 5,7%.