Em 2014, o fluxo cambial fechou negativo em US$ 9,287 bilhões, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira, 07, pelo Banco Central. Mesmo com a piora vista no final do ano, o resultado é melhor do que em 2013, quando o saldo ficou negativo em US$ 12,261 bilhões. Em 2013, foi a primeira vez que o Brasil viu a quantidade de dólares que saiu do País superar a de entrada desde a crise financeira internacional de 2008.

No encerramento de 2012, o saldo ficou positivo em US$ 16,7 bilhões. Em 2011, a quantia de US$ 65,3 bilhões tinha sido a melhor desde 2007 e, em 2010, o resultado havia sido de US$ 24,3 bilhões. Em 2009, o saldo voltou a ser positivo (US$ 28,7 bilhões), depois de registrar saídas de US$ 983 milhões em 2008.

O saldo de 2014 foi composto por saídas líquidas do setor financeiro no valor de US$ 13,424 bilhões e de ingressos líquidos de US$ 4,137 bilhões do segmento comercial.

Dezembro

De acordo com o Banco Central, o fluxo cambial total se aprofundou ainda mais no terreno negativo no fechamento de dezembro, ao encerrar o mês com saídas líquidas de US$ 14,050 bilhões. Até o dia 26, o saldo estava negativo em US$ 10,797 bilhões. O fluxo cambial negativo de dezembro é o maior para o mês da série histórica, iniciada em 1982. Até então, a quantidade de saídas mais elevadas no último mês de um ano havia sido em 2013, de US$ 8,780 bilhões. O fluxo negativo de dezembro é o maior desde setembro de 1998, quando ficou em US$ 18,919 bilhões e o câmbio era controlado. No ano seguinte, o Brasil adotou o regime de câmbio flutuante.

É comum nos finais de ano haver uma ampliação de envios de lucros e dividendos de empresas instaladas no Brasil para suas matrizes no exterior. Por isso o BC forneceu leilões de linha (operações de venda com compromisso de recompra) ao longo do mês passado. Dentro do programa de leilões de swap cambial em 2015, confirmado até pelo menos o dia 31 de março, não há previsão de operações de linha dentro de uma rotina preestabelecida. O BC se comprometeu, no entanto, a atuar sempre que considerar necessário.

As operações financeiras de dezembro responderam por remessas líquidas de US$ 14,542 bilhões, diferença entre ingressos de US$ 45,329 bilhões e envios de US$ 59,871 bilhões. No comércio exterior, o saldo ficou levemente positivo em US$ 492 milhões, com importações de US$ 17,107 bilhões e exportações de US$ 17,599 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 2,913 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 4,933 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e US$ 9,752 bilhões em outras entradas.

Semana

Segundo o BC, a semana de 29 de dezembro a 2 de janeiro registrou uma saída de dólares do Brasil, com o fluxo cambial ficando negativo em US$ 4,339 bilhões no período. De acordo com a instituição, o segmento financeiro, que reúne operações como investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras, teve envios de US$ 4,275 bilhões na semana que inclui os últimos dias de 2014 e o primeiro dia útil de 2015. O resultado é a diferença entre entradas de US$ 6,242 bilhões e remessas de US$ 10,516 bilhões.

No mesmo período, no comércio exterior, o saldo ficou negativo em US$ 64 milhões, com importações de US$ 2,203 bilhões e exportações de US$ 2,139 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 254 milhões em ACC, US$ 568 milhões em PA e US$ 1,317 bilhão em outras entradas.