Os níveis elevados de dívida dos governos em todo o mundo, mas particularmente nos países com economias desenvolvidas, pode pesar sobre o crescimento da economia mundial, de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI). O problema, segundo o órgão, está sendo exacerbado pelo fato de a atividade global estar se recuperando sem haver melhora equivalente no horizonte fiscal. O órgão afirmou em um relatório que o potencial de expansão da economia global pode encolher 0,5% por ano devido às políticas fiscais atuais e que a relação entre dívida e Produto Interno Bruto (PIB) pode crescer 40% em relação aos níveis registrados antes da crise financeira, para 115%.

Para estabilizar as economias mundiais, segundo o FMI, será necessário que os governos retirem cuidadosamente as medidas de auxílio introduzidas durante a turbulência financeira e reduzam os níveis de dívida para um volume equivalente a 60% do PIB até 2030. Os países avançados terão de fazer cortes maiores, diminuindo despesas e elevando a arrecadação. O órgão sugeriu a muitas dessas nações uma redução nos gastos com pensões e contenção de custos no setor de saúde. As informações são da Dow Jones.