Apesar da revisão metodológica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Fundo Monetário Internacional manteve inalterada a projeção de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 4,4% este ano. Para 2008, a previsão do FMI para o crescimento da economia brasileira foi mantida de 4,2%.

Para a economia global, entretanto, o FMI revisou a projeção de crescimento de 4,9% para 5,2%, tanto em 2007 quanto em 2008. Para os EUA, o Fundo reduziu de 2,2% para 2% a previsão de expansão do PIB em 2007. Para 2008, manteve a estimativa de crescimento da economia norte-americana inalterada em 2,8%.

Segundo o FMI, a economia global continuou a crescer em um ritmo rápido na primeira metade de 2007. A maior parte das revisões que contribuíram para um crescimento global mais robusto veio dos mercados emergentes e de países em desenvolvimento, com projeções elevadas substancialmente para China, Índia e Rússia. As projeções anteriores do FMI eram de abril.

"Embora o crescimento nos EUA tenha se desacelerado no primeiro trimestre, indicadores recentes sugerem que a economia voltou a ganhar fôlego no segundo trimestre". O FMI constata que a atividade econômica, em grande parte dos outros países, continuou a se expandir fortemente.

Na zona do euro (13 países da Europa) e no Japão, o crescimento permanece acima da tendência, com alguns sinais favoráveis de que a demanda doméstica está tendo um papel mais central nas expansões. Para a zona do euro, o FMI revisou a taxa de crescimento de 2,3% para 2,6% em 2007 e de 2,3% para 2,5% em 2008. Para o Japão, o Fundo elevou o PIB projetado de 2,3% para 2,6% em 2007 e de 1,9% para 2% em 2008.

Emergentes

O FMI revisou a projeção para crescimento dos países emergentes de 7,5% para 8% em 2007 e de 7,1% para 7,6% em 2008. O Fundo ajustou ainda o PIB apurado em 2006 de 7,9% para 8,1%. "Os países emergentes continuaram a ter expansão robusta, conduzidos pelo rápido crescimento na China, Índia e Rússia", de acordo com o relatório atualizado Perspectiva Econômica Global.

O crescimento estimado do PIB da China foi revisado de 10% para 11,2% em 2007 e de 9,5% para 10,5% em 2008. "Se adicionarmos Índia e Rússia, temos metade de todo o PIB global vindo dos mercados emergentes", afirmou o vice-diretor do Departamento de Pesquisa do Fundo, Charles Collyns.

Petróleo

O FMI elevou o preço do barril de petróleo para balizar suas projeções. No relatório atualizado, divulgado hoje, o FMI assumiu o preço do óleo em US$ 63,75 por barril em 2007 e em US$ 68,75 por barril em 2008. No relatório anterior, de abril, os preços eram US$ 60,75 em 2007 e US$ 64,75 em 2008.