Foto: Divulgação

Retirada de sangue de animais suspeitos, para exame.

O município de Bituruna, região sul do Estado, está com foco de raiva animal. Até agora foram confirmados sete casos, mas há suspeita que outros 23 bovinos e eqüinos tenham morrido da doença. Além disto, mais animais vêm aparecendo com os sintomas da patologia. Segundo a responsável pela área de raiva da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento (Seab), Elzira Jorge Pierre, a raiva está sendo transmitida por morcegos. A Seab já adotou medidas para conter o problema.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Cleonir Somálio, há uns 10 dias os animais começaram a morrer. Foram feitos exames e sete deles estavam com a doença. Outros 23 apresentaram os sintomas, mas não houve tempo para examinar as causas da morte e, a cada dia, as equipes de saúde estão indo investigar outros casos. O problema vem aparecendo principalmente em três localidades, que ficam a cerca de 10 quilômetros da sede do município: Bracatinga, Linha Santa Catarina e Sabiá. Elzira afirma que a raiva foi transmitida por morcegos hematófagos, que se alimentam de sangue. A Seab e a Secretaria Municipal de Saúde farão o controle da população de morcegos. Um dos passos é identificar a quantidade de abrigos existentes – só nos últimos dias foram encontrados três novos. O segundo passo é capturar alguns exemplares para colocar uma pasta com veneno em seu corpo. Os morcegos têm o hábito de se lamber e quando retornam ao ninho contaminam os outros.

Além disto, Elzira diz que o gado da região deve ser vacinado, para não desenvolver a doença. As pessoas que tiveram contato com os animais mortos e suspeitos já foram vacinadas. Para que o controle seja efetivo, também é necessário que a população comunique quando um animal apresentar os sintomas da doença. Os herbívoros apresentam paralisia, salivam em excesso, ficam muito mais atentos ao barulho e movimento, entre outros.

Segundo Elvira, no Estado, existem 650 abrigos de morcegos. Todos os anos é feito o controle da população, além de verificar se apresentam o vírus causador da raiva. Até agora, a doença só tinha aparecido na região de Curitiba, Ponta Grossa e Cascavel. Ela explica que o desmatamento faz com que esses animais se aproximem dos seres humanos. Os morcegos costumam atacar apenas bichos silvestres.