Brasília (AE) – As projeções do mercado financeiro para o índice oficial de inflação (IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo) deste ano caíram de 3% para 2,97% em pesquisa semanal do Banco Central, divulgada ontem. Esta foi a segunda queda seguida dessas projeções, que estavam em 3,03% há quatro semanas. Com a nova queda, as estimativas para a variação do IPCA neste ano ficaram mais abaixo da meta central, de 4,50%, fixada pelo Conselho Monetário Nacional.

Para 2007, as projeções de IPCA caíram de 4,20% para 4,17% e também ficaram ainda mais abaixo da meta central, de 4,50%, fixada pelo CMN para o próximo ano. Há quatro semanas, essas projeções estavam em 4,30%.

As projeções do mercado financeiro para a taxa de juros Selic em novembro próximo ficaram estáveis em 13,50% ao ano. O porcentual embute uma expectativa de que o Comitê de Política Monetária (Copom) reduzirá os juros em 0,25 ponto porcentual na sua última reunião do ano, no final de novembro. Para o fim de 2007, as previsões de taxa de juros recuaram de 12,50% para 12,25% ao ano. A queda interrompeu uma seqüência de quatro semanas seguidas de estabilidade destas estimativas em 12,50% ao ano.

De acordo com a pesquisa Focus do Banco Central, a previsão para o superávit comercial neste ano subiu de US$ 43,51 bilhões para US$ 44 bilhões. Já a projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano ficou estável em 3%. As estimativas de expansão da produção industrial neste ano, por sua vez, caíram de 3,48% para 3,46%.

As projeções do mercado para a taxa de câmbio no fim do ano caíram de R$ 2,18 para R$ 2,17 por dólar. Esta foi a terceira queda consecutiva destas previsões, que estavam em R$ 2,18 há quatro semanas.