Depois de 26 horas de paralisação e diversas negociações, funcionários da coreana Dongwoo, que fabrica componentes eletrônicos para a LG Eletronics, em Pindamonhangaba (SP), decidiram encerrar a greve iniciada na terça-feira. A empresa tem 300 funcionários, dos quais 280 são mulheres. Entre as reivindicações, está o fim do assédio moral. Em assembleia realizada ontem, os trabalhadores haviam rejeitado a proposta da empresa. Às 9h30, no entanto, após nova negociação com representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba, outra proposta foi votada e aprovada.

A empresa aceitou atender as principais reivindicações dos funcionários, destacando-se a criação de um plano de salários, com um porcentual mínimo de 3% de aumento para funcionários com mais de dois anos de casa. Além disso, a empresa se comprometeu acabar com o assédio moral – as chefias foram orientadas e passarão por treinamento – e vai oferecer aos funcionários um plano médico adequado às suas expectativas e contratar um técnico de segurança do trabalho.

Segundo o dirigente sindical Renato Marcondes de Oliveira, o Mamão, os representantes da empresa inicialmente se posicionaram de forma inflexível em relação aos 16 itens que compunham a pauta de reivindicações dos trabalhadores. “Houve resistência e aos poucos eles foram cedendo e acabaram entendendo a situação”, disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.