A greve dos funcionários da unidade da Bosch na Cidade Industrial de Curitiba (CIC) deve durar pelo menos até a próxima segunda-feira (23). Isso porque os empregados recusaram, ontem, duas propostas oferecidas pela empresa e decidiram, em seguida, marcar a próxima assembleia somente para a semana que vem. A paralisação começou na terça-feira (17) e atinge cerca de 3 mil colaboradores.

Ainda em dificuldades devido à crise mundial, que causou redução das exportações principal foco da unidade, que produz componentes para sistemas a diesel , a Bosch ofereceu, ontem, a correção dos salários em fevereiro de 2010, pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) acumulado no período, e 3,7% de aumento real a ser concedido em março de 2010. A empresa também acenou com um abono de R$ 1,5 mil, a ser pago no mês que vem.

Pouco antes, os funcionários já tinham recusado uma proposta anterior da companhia, que dividia o abono em duas parcelas e prometia o aumento real para junho de 2010.

Naquele momento, os metalúrgicos, que querem um acordo semelhante aos de outras empresas do setor, fizeram uma contraproposta, pedindo abono de R$ 2 mil, em duas parcelas iguais, e aumento real em janeiro de 2010.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, se a Bosch aceitar a contraproposta feita ontem, a assembleia marcada para segunda-feira pode ser antecipada.

Em nota, a Bosch ressaltou que respeita o direito de manifestação dos trabalhadores e informou que está avaliando quais serão os próximos passos a serem adotados.