Foto: Ciciro Back

Trabalhadores cruzam os braços diante da agência.

Cerca de 5,5 mil funcionários do HSBC cruzaram, ontem, os braços em Curitiba, em protesto contra as recentes demissões. Segundo a categoria, aproximadamente 120 pessoas foram demitidas nas últimas semanas em todo o País – 66 apenas em Curitiba. No Rio de Janeiro, a empresa de crédito Losango, do grupo HSBC, demitiu 90 funcionários, segundo o Sindicato dos Bancários.  

A paralisação se concentrou nos três centros administrativos – Vila Hauer, Xaxim e Kennedy, no bairro Portão – e no Palácio Avenida, principal agência da área central. De acordo com o dirigente sindical e funcionário do HSBC, Marco Aurélio Vargas Cruz, a paralisação afetou o serviço de call center (telemarketing) do banco em todo o País. Outros setores prejudicados foram os de recursos humanos, jurídico e a rede de crédito, todos em nível nacional.

Segundo Cruz, a paralisação foi de apenas um dia, mas poderá se repetir devido à intransigência da direção do banco. ?Pedimos a readmissão dos funcionários e o fim das demissões, mas a resposta que tivemos foi de que as demissões vão prosseguir?, apontou Cruz. Ontem, sindicalistas se reuniram com a diretoria do banco, no Palácio Avenida, mas não houve avanços. ?Nossa pergunta é: quantos ainda serão demitidos, quando e por quê? E outros serão contratados??, questionou Cruz. Segundo o dirigente sindical, o que preocupa não são apenas as demissões, mas a perda de postos de trabalho. ?Estão demitindo e não estão contratando. Com isso, os funcionários que ficam estão sobrecarregados, trabalhando dobrado e até triplicado.?

Para a presidente do Sindicato dos Bancários de Curitiba e região, Marisa Stedile, o objetivo do protesto era fazer com o que o banco avaliasse a reintegração dos funcionários e encerrasse o processo de demissões. ?O banco não honrou com a sua palavra, dada em 25 de outubro, de que não demitiria. Não é a primeira vez que o HSBC age desta forma. Nossa resposta é a paralisação?, afirmou.

HSBC

O HSBC informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que ?não manifestou nenhum compromisso com o Sindicato dos Bancários de que não faria demissões neste ano.? Informou, ainda, que a rotatividade de funcionários está dentro da normalidade em uma instituição de grande porte e que o HSBC realizou mais contratações do que desligamentos em 2007. ?O objetivo da instituição é desburocratizar sistemas e processos operacionais e reforçar posições que dêem maior agilidade no atendimento ao cliente?, encerra a nota.