A greve dos funcionários dos Correios segue sem data para terminar. Nesta terça-feira (27), representantes da empresa se reuniram com o comando nacional do movimento para apresentar a mesma proposta pela segunda vez desde que a paralisação teve início, no dia 14 deste mês. Novamente, os trabalhadores rejeitaram o acordo, nas assembleias realizadas no final da tarde em todo o País. E, sem qualquer avanço nas negociações, o movimento paredista continuará pelo menos até amanhã (28).

Pelos Correios, o reajuste salarial deveria ser de 6,87%, com aumento real de R$ 50 e abono de R$ 800. Na última contraproposta apresentada pelos grevistas, o ganho real recuou de R$ 400 para R$ 200, porém, ainda é quatro vezes maior do que o valor oferecido pela empresa. “Queremos negociar, mas diante de uma negociação minimamente razoável para o trabalhador”, explica o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores nos Correios do Paraná (Sintcom-PR), Luiz Antonio Ribeiro Souza.

Em nota, os Correios afirmaram que buscarão a melhor alternativa para concluir as negociações e encerrar a paralisação.