Os fundos de investimento registraram captação líquida negativa de R$ 2,9 bilhões em abril, o primeiro resgate mensal no ano, segundo a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). Já no acumulado do ano, até o último dia 30, foram captados R$ 68,4 bilhões.

Conforme o Broadcast, o serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, adiantou há dois dias, a categoria que impulsionou o resgate registrado no mês de abril foi a de renda fixa, que investe principalmente em títulos públicos, com saída de R$ 9,9 bilhões e rentabilidade de 0,69%. No mesmo período, o CDI variou +0,60%.

Outros fundos que também seguiram esta tendência foram os multimercados, que investem em ações, dólar e derivativos, com resgate de R$ 2,3 bilhões. No quesito retorno, dentre as modalidades existentes nesta família, o destaque foi o segmento trading, com ganho de 1,70%. Os fundos de curto prazo, com rentabilidade de 0,61% no mês passado, tampouco conseguiram captar, apontando saída de 769 milhões.

Em contrapartida, conforme já adiantado, os fundos de previdência registraram entrada de R$ 2,4 bilhões no período. Entre as modalidades destes produtos, a que apresentou maior retorno foi a de previdência renda fixa, com variação de +0,71%.

Os fundos referenciados DI, que aplicam apenas em papéis do governo, captaram R$ 2,2 bilhões e renderam 0,62% em abril. Outra categoria que registrou captação foi a de ações, com ingresso líquido de R$ 2 bilhões. As modalidades FMP-FGTS e Setoriais se destacaram em rentabilidade, com variação de +7,33% e +5,32, respectivamente no mês de abril. No mesmo período, o Ibovespa apresentou perda de 0,78%.

Renda fixa

A valorização registrada pelo Índice de Mercado Anbima (IMA) e seus principais componentes (Índice de Renda Fixa do Mercado, o IRF-M, e Índice de Mercado Anbima-B, o IMA-B) após a reunião do Copom impulsionou a rentabilidade dos fundos renda fixa índices – que registraram retorno mensal de 1,24%.

Segundo a Anbima, a alta registrada deixou de ser apropriada pelos investidores que resgataram recursos da ordem de R$ 11,5 bilhões nos últimos três meses nesses fundos. A Associação explica que, pelo menos em parte, o resgate parece ter sido motivado pela rentabilidade negativa registrada nos últimos dois meses, ainda que o horizonte de investimento desses fundos seja de longo prazo. “Movimento semelhante, porém de menor magnitude, ocorreu em junho de 2012, sinalizando o padrão de comportamento do investidor”, lembra a Anbima.