Os gastos dos consumidores norte-americanos, um motor importante para o crescimento da economia dos Estados Unidos, subiram 0,2% em maio, enquanto a renda pessoal aumentou 0,4%, informou hoje o Departamento de Comércio do país. Os números já eram esperados pelos economias.

O Departamento de Comércio também revisou os dados de abril para mostrar que os gastos pessoais ficaram estáveis e a renda cresceu 0,5% no mês. Com o crescimento da renda pessoal, os consumidores dos EUA aumentaram suas poupanças em maio. Os norte-americanos pouparam US$ 454,3 bilhões, com aumento da taxa de poupança nacional de 3,8% em abril para 4,0% em maio.

Preços

O índice de preços de gastos com consumo pessoal (PCE, na sigla em inglês) ficou inalterado em maio ante abril, informou o Departamento do Trabalho. O núcleo do índice, que exclui alimentos e energia, subiu 0,2%, superando levemente a previsão dos economistas, de alta de 0,1%. Em relação a maio do ano passado, o PCE subiu 1,9%, enquanto o núcleo avançou 1,3%.

Atividade industrial

O índice nacional de atividade industrial do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) de Chicago caiu de 0,25 em abril para 0,21 em maio, ainda assim apontando sinal de atividade econômica acima da média nos EUA.

A média móvel de três meses subiu de 0,05 para 0,28, ficando no território positivo pelo segundo mês seguido. O Fed afirmou que uma leitura acima de 0,20 é “historicamente associada com uma recuperação econÔmica madura em seguida a uma recessão”.

Indicadores relacionados à produção permaneceram como destaque positivo, subindo de 0,39 em abril para 0,51 em maio, e os relacionados a vendas, encomendas e estoques também avançaram. Os segmentos de consumo e imobiliário continuaram sendo os mais fracos entre os pesquisados pelo Fed e caíram pelo segundo mês seguido. As informações são da Dow Jones.