O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, disse neste domingo que o governo deve manter “algum tipo” de garantia federal para permitir que os norte-americanos possam obter facilmente empréstimos para financiar casas. Esta pode ser a mais recente discussão entre o governo do presidente Barack Obama e os republicanos sobre o papel futuro do setor público americano no mercado imobiliário, informa o “Wall Street Journal”.

O comunicado vai ao centro de uma das questões políticas mais vexatórias em Washington: o que fazer com as gigantes agências de crédito imobiliário Fannie Mae e Freddie Mac, controladas pelo governo? Ambas as empresas foram socorridas pelo governo dos EUA em 2008, enquanto cambaleavam em direção ao colapso. Até agora, o Tesouro injetou US$ 145 bilhões em ajuda para manter as empresas e essa soma poderá subir nos próximos meses. Os republicanos dizem que as agências e seu papel distorcido no mercado imobiliário são problemas a serem enfrentados imediatamente. Eles afirmam que a natureza quase estatal das agências lhes permitiu crescer a um tamanho tão grande que elas ajudaram a alimentar a crise financeira.

Geithner prometeu que a administração “trará mudança fundamental” e que ela “não conservará a Fannie e Freddie em nada do que são na sua forma atual”. Ele deu as declarações ao programa de televisão Meet the Press da “NBC”.

Mas, ele acrescentou, “haverá uma questão importante em dar uma olhada para preservar ou colocar em vigor uma garantia desenhada com cuidado, então novamente os mutuários terão a habilidade de tomar dinheiro emprestado e financiar uma casa, mesmo numa recessão muito difícil”. As duas agências detém ou são garantidoras de mais da metade dos US$ 10,2 trilhões em hipotecas imobiliárias nos EUA. As informações são da Dow Jones.