São Paulo – O empresário Girsz Aronson, de 87 anos, que já foi conhecido como o “inimigo número 1 dos preços altos” e tido como o “rei” dos eletrodomésticos do País, pelas milhares de mercadorias vendidas todos os meses nas suas lojas, foi indiciado ontem em inquérito no Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). Aronson é acusado de ter comprado 401 fornos de microondas roubados.

Os fornos faziam parte de um lote de 1.008 aparelhos do fabricante Electrolux, roubados por três ladrões de um caminhão na noite de 25 de fevereiro na Rodovia Marechal Rondon.

“Como poderia comprar mercadoria roubada e pagar com cheques pré-datados, com vencimento até maio?”, argumentou o empresário. “Fui enganado.”

Aronson deu como pagamento 60 cheques, no valor de R$ 4 mil cada um, que foram entregues por seu advogado à polícia.

O delegado José Roberto de Arruda, que indiciou Aronson, disse que a história do comerciante não é verdadeira. “Eu até poderia aceitar com reservas a versão de uma pessoa que começou ontem no ramo de compra e venda de eletrodomésticos. Mas não dá para acreditar que um empresário com mais de 60 anos de experiência não saiba distinguir o que é mercadoria honesta e o que é roubada.”

Pelo crime de receptação, Aronson poderá ser condenado a pena de 3 a 8 anos. Por ter 87 anos, pelo artigo 65 do Código Penal, o comerciante deverá receber da Justiça a “circunstância atenuante da pena”, concedida para menores de 18 anos e maiores de 70.