O patrimônio líquido agregado da Globo Comunicações e Participações (Globopar) e TV Globo estava negativo em R$ 674 milhões em 30 de setembro, segundo balanço divulgado pela empresa. O prejuízo líquido consolidado da Globopar totalizou R$ 3,475 bilhões nos nove primeiros meses de 2002, um aumento de 146% ante igual período do ano anterior.

A companhia informou, em comunicado, que a partir do terceiro trimestre do ano passado os números refletem a mudança de consolidação total para consolidação proporcional em algumas subsidiárias e são ajustados, pró-forma, com base na participação acionária da Globopar, em 30 de setembro de 2001, para o período de nove meses. A modificação, informa a empresa, foi implementada como resultado da redução do nível de controle da Globopar na Net Serviços de Comunicação e na Sky Brasil Serviços Ltda., de acordo com as normas estabelecidas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A geração operacional de caixa da Globopar, medida pelo Ebitda (lucro antes de juros e impostos), ficou negativa em R$ 37,2 milhões nos nove primeiros meses de 2002. Em igual período do ano anterior, o resultado tinha sido positivo em R$ 139,8 milhões.

Segundo nota da empresa, o resultado “reflete o impacto negativo da Copa do Mundo sobre o Ebitda, uma vez que seus custos superaram as receitas da TV Globo”. Esta continua a ser a maior geradora de caixa da companhia, representando 61% do total das receitas. Segundo a empresa, a TV Globo aumentou sua audiência média nacional, durante o período de 24 horas, de 51%, no terceiro trimestre de 2001, para 52% em igual período do ano passado. A audiência no horário nobre cresceu de 55%, em setembro de 2001, para 57% em setembro passado.

“A companhia está atualmente revendo seus planos de negócios com um forte enfoque na melhora da geração de fluxo de caixa”, acrescenta a nota.