Arquivo
Richa pede revisão do percentual.

O governador Beto Richa decidiu suspender o aumento médio de 14,61% nas tarifas de energia dos 4,1 milhões de clientes da Copel em 393 municípios paranaenses. O reajuste foi autorizado ontem pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a empresa havia confirmado, no início da tarde, a aplicação dos índices de correção a partir de segunda-feira.

Em janeiro, por conta da desoneração tributária federal, houve redução média de 19,28% nas contas de luz do Estado. Por volta das 18h, em sua página no Facebook, Richa anunciou que pediu à diretoria da energética para suspender a alta. “Vamos conversar para que a Aneel reveja o percentual que autorizou”, postou.

Segundo a Aneel, do percentual de elevação aprovado, 11,40% referem-se ao reajuste tarifário anual, 1,68% aos componentes financeiros deste ano e 1,53% aos componentes financeiros de 2012. Os índices de correção aprovados variam conforme o segmento do consumidor: 13,44% para baixa renda, 14,42% para baixa tensão, como residências, comércio e outras atividades, e 14,86% para alta tensão, como indústrias.

A justificativa da agência para a alta é a reposição inflacionária pelo IGP-M, conforme previsto no contrato de concessão; aumento do custo dos Encargos de Serviços do Sistema (ESS) e gastos da distribuidora com compra de energia, em especial a elevação do custo variável em função do aumento da geração térmica.

Temelétricas

Richa, que estava em Londrina, informou que convocou reunião para “ver exatamente o que é isto”. “Acredito que em função das últimas estiagens, o governo federal teve que colocar a todo vapor as usinas termelétricas em operação. Essas usinas, além de mais poluidoras, são muito mais caras, mas salvaram o país do apagão. A Aneel está passando os gastos desta operação, este aumento, para várias concessionárias de energia”, comentou, via rede social.