O secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Maurício Tolmasquim, afirmou estudar mudanças na metodologia dos próximos leilões de energia. No dia 31, haverá o primeiro leilão do ano, para negociar contratos de fornecimento de energia a partir dos anos de 2008 e 2009. ?Toda a metodologia será igual a do leilão anterior, mas nós estamos estudando a possibilidade de que na segunda fase se possa fazer dois lances em vez de um?, afirmou o secretário.

Os leilões de energia são divididos em duas fases: a primeira, quando é definida a real demanda de energia, e uma segunda, para definição dos preços da energia a ser fornecida.

O ministério também programou a realização de um leilão de energia ?nova? (de usinas ainda não existentes) para o segundo semestre. Tolmasquim não quis adiantar uma data, mas confirmou a informação de que, das 17 usinas previstas, para apenas uma já foi obtida licença ambiental prévia, que permite a implantação.

?Realmente, somente uma (usina) já tem a licença prévia, mas as outras estão em vias de sair. Nós acreditamos que haverá um número mínimo de usinas para o leilão, sem maiores problemas. Nós estamos trabalhando com as 17. Dessas, vamos ver quantas vão ter a licença permitida. Não necessariamente serão essas 17?, afirmou o secretário. Mas o fornecimento de energia, segundo ele, está garantido nos próximos quatro anos.

?São investimentos que estão sendo monitorados e tudo indica que não haverá problema. Não existe possibilidade de falta de energia. A situação está sobre controle. Estamos numa situação bastante confortável porque os empreendimentos que eram necessários estão sendo feitos?, afirmou Tolmasquim. De acordo com ele, até 2009 o Brasil tem o suprimento suficiente para atender a demanda.

?A partir de 2010, temos os leilões que serão feitos agora e terão novos empreendimentos que atenderão a necessidade vital?, afirmou.