O Tesouro Nacional anunciou, nesta terça-feira, 10, uma série de mudanças no programa Tesouro Direto, que permite investimentos de pessoas físicas em papéis da dívida pública. Segundo o órgão, a intenção é deixar o programa mais “atraente, simples e acessível” aos investidores.

Entre as mudanças está a recompra diária dos títulos pelo Tesouro Nacional a partir do dia 30 de março – antes, a recompra só era feita às quartas-feiras. Para o Tesouro, a recompra diária amplia a “liquidez e a flexibilidade da aplicação”. A opção de recompra será aberta todos os dias úteis, a partir das 18 horas, e encerrada às 5 horas do dia seguinte. Nos fins de semana e feriados, será oferecida o dia inteiro, sempre com os últimos preços de fechamento de mercado disponível.

Foi criado também um papel prefixado de longo prazo (Tesouro Prefixado 2021) que, de acordo com nota do Tesouro, visa “atender a demanda por papéis com perfil mais alongado e sem pagamentos de juros semestrais”.

Novos nomes

Houve mudança também na nomenclatura dos títulos, que foi simplificada para facilitar o entendimento da remuneração de cada papel para o investidor. A LFT (atrelada à Selic) passa a se chamar Tesouro Selic 20xx (o xx refere-se ao ano de vencimento do papel). Já a LTN (prefixada) receberá o nome de Tesouro Prefixado 20xx. A NTN-F (prefixada) ganha o nome de Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 20xx. A NTN-B principal (atrelada à inflação) passa a se chamar Tesouro IPCA + 20xx e a NTN-B será Tesouro IPCA + com Juros Semestrais 20xx

O site do programa (www.tesourodireto.gov.br) foi reformulado e passa a ser adaptável a plataformas tablets e celulares.