O deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho, informou nesta quarta-feira (12) que o relator da proposta de prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), deputado Antonio Palocci (PT-SP), disse aos parlamentares que o espaço que o governo tem para desoneração, nos próximos quatro anos, é de R$ 20 bilhões.

Segundo ele, a discussão é sobre como será feita essa desoneração, se por meio da redução da alíquota da CPMF, como defendem os parlamentares, ou da folha de pagamento. Nesse último item, há uma divisão de propostas. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, prefere desonerar a contribuição patronal, que poderia cair de 20% para 18%, enquanto o PDT e outros aliados acham melhor desonerar a contribuição do trabalhador, que hoje varia de 8% a 15%, para alíquotas entre 6% a 9%.