Ministro anuncia colheita de 115
milhões de toneladas de grãos.

Brasília

  – O País deve colher 115,2 milhões de toneladas de grãos e algodão na safra 2002/03, o que supera em 19,3% os 96,584 milhões de toneladas produzidos em 2001/02. O anúncio foi feito ontem pelo ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, ao divulgar o levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A área plantada foi de 42,7 milhões de hectares, um crescimento de 6% (ou 2,5 milhões de hectares) em relação ao período anterior.

Para esta safra, a Conab estima produção recorde de soja e milho. Os produtores de soja colherão 50,3 milhões de toneladas e a produção de milho na safra principal e na safrinha será de 42,76 milhões de toneladas. Esse é o quarto levantamento de área e produção da Conab para a safra 2002/03.

O levantamento anterior, divulgado em fevereiro, indicava plantio de 42,311 milhões de hectares e produção de 112,362 milhões de toneladas de grãos e algodão. Para realizar a pesquisa atual, 68 técnicos da Conab visitaram 550 municípios. Foram entrevistados 1.850 profissionais de cooperativas, secretarias de Agricultura, órgãos de assistência técnica e extensão rural, sindicalistas, revendedores de insumos e agentes financeiros.

A renda real da agricultura deve crescer cerca de 30% neste ano, porcentual classificado como “espetacular” por Rodrigues. Ele afirmou que o aumento justifica-se pelo crescimento de 29% nas vendas de fertilizantes e pela demanda por máquinas e equipamentos agrícolas.

Os R$ 800 milhões alocados em fevereiro pelo governo para o Moderfrota estão praticamente esgotados, afirmou. A expectativa era de que os recursos fossem utilizados até 30 de junho. “Esses fatores dão uma visão otimista quanto à próxima safra”, disse. A previsão é de crescimento de 5% na área plantada na safra 2003/04, o que elevaria a produção para cerca de 120 milhões de toneladas.

Logística

O ministro advertiu, no entanto, que o governo precisa investir em infra-estrutura e logística. Rodrigues reafirmou que as multinacionais têm direito de cobrar royalties pelo cultivo de suas sementes geneticamente modificadas. No entanto, ele classificou a discussão sobre a cobrança como intempestiva. Para Rodrigues, seria importante aguardar uma decisão da Justiça sobre a liberação dessas sementes antes de pensar na cobrança.

Nos últimos 13 anos, a área plantada no País cresceu 12% mas a produção física de grãos aumentou 99%. “Embora eu tenha alta quilometragem em agricultura, não tenho conhecimento de nenhum país agrícola do mundo que tenha realizado tamanho avanço via incorporação de tecnologia, como fez o Brasil”, comemorou Rodrigues. Ele aproveitou para elogiar novamente os produtores, que, segundo ele, incorporaram a tecnologia elaborada na Embrapa e em outros órgãos de pesquisa.

Produtos

A produção de algodão é suficiente para atender à demanda interna. Para a safra 2002/03, a estimativa é de produção de 829,4 mil toneladas de algodão em pluma, ante demanda interna de 780 mil toneladas. Mas os contratos de exportação somam cerca de 150 mil toneladas, o que eleva a demanda total para 930 mil toneladas. “Vamos precisar importar 100 mil toneladas de algodão. Mas a boa notícia é que exportamos algodão de qualidade superior e importamos de qualidade inferior. Por isso, teremos saldo positivo na balança comercial”, avaliou Rodrigues.

Soja

As exportações do complexo soja deverão somar cerca de US$ 8 bilhões neste ano, superando o volume comercializado pelos Estados Unidos, reafirmou o ministro. A exportação só será possível porque a produção na safra 2002/03 deverá somar 50,325 milhões de toneladas, 20,1% acima das 41,915 milhões de toneladas do período anterior.

A Conab estimou produção de 9,06 milhões de toneladas de milho na segunda safra, com crescimento de 46,6% em relação ao ano agrícola anterior. “Mas, se as condições de clima forem favoráveis, poderemos ter produção acima do estimado”, afirmou Rodrigues.

“Se houver um problema mais sério quanto às geadas, a produção poderá cair, pois as lavouras de milho são muito sensíveis às temperaturas baixas”, afirmou, referindo-se a notícias de geadas em Santa Catarina e no Paraná.

Para o trigo, a estimativa é de produção de 4,514 milhões de toneladas, com crescimento de 54,9% em relação aos 2,913 milhões de toneladas no período anterior. A confirmação da estimativa depende do clima. A Conab estima área plantada de 2 306 milhões de hectares, ante 2,051 milhões no ano-safra anterior. O governo prevê necessidade de importação de 6,25 milhões de toneladas de trigo no ano.