O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou que o governo estuda medidas para garantir um abastecimento regular de etanol e evitar o aumento no preço do combustível. Segundo ele, o desenho dessa política prevê a formação de estoques reguladores. Hoje, segundo ele, o governo trabalha sem estoques de álcool, e quem faz hoje no País algum tipo de estoque são os produtores. Ele destacou que recentemente houve aumento do preço do álcool por causa da escassez do produto no mercado interno e do aumento da exportações de açúcar.

O ministro, ao anunciar a redução da Cide sobre o preço da gasolina, de R$ 0,23 para R$ 0,15 por litro, defendeu que os consumidores fiquem atentos para evitar comprar nos postos que aumentem o preço do combustível. Ele disse que não pode “jurar de pés juntos” que os postos não darão aumento, mas acrescentou que não há razão para isso. “Espero que não, porque não tem razão”, disse ele. O ministro afirmou que a Secretaria de Acompanhamento Econômico do ministério estará atenta para evitar abusos, mas que este é um mercado em que há concorrência no País.

Mantega disse que a redução da Cide não compromete o cumprimento da meta fiscal de 3,3% do PIB para este ano. “Há espaço para essa desoneração”, disse.