A presidente da Petrobras, Graça Foster, classificou a descoberta da petrolífera na bacia de Sergipe-Alagoas, confirmada no final de setembro, como “uma bela descoberta, uma excepcional descoberta”, ao final de um evento em São Paulo, nesta terça-feira, 08. “O que não estamos fazendo é divulgar números porque não podemos. Estamos fazendo um teste e trata-se, de fato, de uma bela descoberta, de uma excepcional descoberta. A Petrobras precisa de grandes descobertas”, afirmou, em conversa com jornalistas. O governo de Sergipe chegou a dizer que a descoberta no Estado seria “a maior de 2013” em todo o mundo.

A executiva disse que é necessária uma gestão da descoberta e definição dos “times” possíveis. Segundo ela, Sergipe-Alagoas, já apelidada de Sergipe Águas Profundas, já consta na curva de produção da Petrobras e uma das áreas da bacia deverá entrar em operação em 2018.

Libra

Graça disse também que a empresa vem trabalhando fortemente nos últimos três meses em torno das parcerias para Libra, a primeira área do pré-sal que será leiloada no dia 21 de outubro. Ela não quis revelar se a Petrobras terá mais de 30% de participação. “É um segredo”, afirmou. A estatal, por lei, será a operadora única de Libra, com no mínimo 30% de participação, independentemente do vencedor da licitação.

Perguntada sobre o reajuste no preço da gasolina, que é esperado há pelo menos três meses, Graça voltou a dizer que “é possível, é previsível, mas não tem data”.