Com o maior crescimento econômico e a melhora do perfil da dívida alcançada este ano, o Tesouro Nacional avalia que o Brasil tem todas as condições de receber até o fim do primeiro semestre de 2008 o grau de investimento pelas agências internacionais de classificação de risco. A avaliação foi feita pelo secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Paulo Valle, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

?Acreditamos que o Brasil pode receber o grau de investimento no primeiro semestre, porque o governo está fazendo a sua parte?, disse o secretário. Segundo ele, a maneira como o País vem enfrentando o cenário de turbulências no mercado internacional, durante os últimos meses, reforçou a avaliação positiva.

As agências internacionais reagiram positivamente à decisão do governo de manter o compromisso com a meta de superávit fiscal de 3,8% do Produto Interno Bruto (PIB), mesmo com o fim da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Também contribuíram para a avaliação positiva o quadro de elevadas reservas internacionais (quase US$ 180 bilhões), a redução da dívida externa total e de curto prazo, a diminuição da necessidade de financiamento externo do governo e a melhoria da composição da dívida interna.