O slogan do grupo é “ser chique de forma sustentável”. Não se trata de um grupo qualquer. São mulheres, em sua maioria, que se reuniram no Facebook e trocam entre si roupas, calçados, acessórios, maquiagens e cosméticos.

O nome desta comunidade no Facebook é Troca-troca CWB. Ela foi criada em fevereiro deste ano. Nos primeiros meses da comunidade, 600 mulheres participavam dos negócios virtuais. Agora são aproximadamente 1.300 e a tendência é aumentar.

Os negócios são virtuais, mas na hora da troca elas marcam encontros para a concretização da troca. Os homens são minoria. “O grupo, por enquanto, tem em sua maioria mulheres, mas há muitos curiosos que perguntam sobre o negócio”, diz a social media e idealizadora do Troca-troca CWB, Amanda Bozza.

Segundo Amanda, o Troca-troca CWB funciona como um “escambo virtual”. Amanda já trocou boa parte de suas roupas. Ela conta que quando precisou de um vestido de festa para um casamento conseguiu graças ao Troca-troca CWB. Ela trocou um calçado pelo vestido. Amanda já trocou também um perfume por duas peças de roupa.

Para a estudante Ana Rezende, o troca-troca é uma boa maneira de renovar o guarda-roupa, principalmente para as mulheres que muitas vezes compram e acabam não usando a roupa. “É um jeito sustentável de renovar o guarda-roupa”, acredita Ana. Ela já trocou algumas peças de roupas e sapatos no Troca-troca CWB.

De três em três meses, há um evento presencial que reúne esta comunidade do Facebook para se conhecer, fazer amizade e a troca de roupas, calçados, acessórios, maquiagens e cosméticos, no Aldeia Coworking, um escritório colaborativo que fica no centro de Curitiba.

Para participar do Troca-troca CWB, a condição é ser de Curitiba. A participação se dá por meio do Facebook. É só digitar as palavras Troca-troca CWB para ter acesso à comunidade virtual. Mas para isso tem que pedir autorização de entrada na comunidade, que é avaliada por duas integrantes do Troca-troca CWB.