Foto: Lucimar do Carmo/O Estado

 João Rossi: cultura diferente do paranaense.

De olho no mercado imobiliário paranaense, especialmente o curitibano, o Grupo Rossi lançou no último dia 18 o condomínio horizontal North York Ecoville. É o primeiro empreendimento do grupo no Paraná, e o resultado não poderia ser melhor: em uma semana, metade das 32 unidades já foi vendida, segundo o diretor do grupo, João Rossi. O investimento previsto é de R$ 40 milhões.

?Em Curitiba não há a cultura de se comprar imóvel na planta. Essa venda rápida nos surpreendeu?, afirmou Rossi. A primeira fase do empreendimento deve estar concluída em dezembro de 2007. Já a segunda – com 30 casas – e a terceira – 88 apartamentos – deve estar prontas em junho de 2008. Um dos diferenciais do produto, contou Rossi, é o seguro-garantia do grupo Bradesco. Através dele, caso a construtora não entregue o imóvel dentro do prazo estabelecido, o cliente pode pedir indenização do valor corrigido ou, ainda, a companhia de seguro coloca outra construtora para terminar a obra. No caso do empreendimento em Curitiba, o Grupo Rossi está entrando como incorporadora, enquanto a paranaense JL, como construtora.

As unidades têm entre 160 e 188 metros quadrados de área, e o metro quadrado custa R$ 1.850,00. ?Pretendemos trazer outros produtos para cá. Já estamos vendo outras áreas, terrenos grandes para condomínios de casas, prédios ou ambos, mas sempre com grande área de lazer?, afirmou. Segundo Rossi, a tendência é que as pessoas fiquem cada vez mais tempo em casa. Nesse sentido, o grupo aposta em áreas de lazer equipadas com piscinas, parque, churrasqueira, quadra poliesportiva.

Receita

Empresa de controle familiar fundada em 1913, mas com capital aberto desde 97, o Grupo Rossi deve encerrar o ano com receita de R$ 400 milhões – bem acima dos R$ 280 milhões registrados em 2004. Por se tratar de empresa com capital aberto, estimativas para 2006 não podem ser feitas.

Para Rossi, o ?remédio amargo? da elevada taxa de juros é necessário para colocar fim à memória inflacionária do País. ?A política do ministro Palocci é no sentido de liquidar a cultura inflacionária e entendo que estamos conseguindo. Apostamos que os juros vão baixar no Brasil?, afirmou. Ele elogiou ainda a MP do Bem, transformada em lei, que trouxe benefícios para o mercado imobiliário.