Uma sessão solene na Assembléia Legislativa do Paraná e a inauguração da biblioteca Saul Zugman marcaram, ontem, o aniversário de 60 anos da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). Além destas atividades, na noite de terça-feira (17) também foram entregues medalhas para funcionários da federação e empresários que ajudaram no desenvolvimento da indústria paranaense.

Para o presidente da Fiep, Rodrigo da Rocha Loures estas comemorações servem para mostrar a importância da indústria e de seus trabalhadores para o Paraná. “Nestas seis décadas, a Federação foi construída pelo empreendedorismo e persistência dos empresários em parceria com os trabalhadores que, como irmãos siameses dos industriais, lutaram para transformar a sociedade paranaense”, disse Rocha Loures.

Rocha Loures acrescentou que este momento serve para olhar para o passado e perceber a importância que os primeiros empreendedores tiveram na formação do parque industrial do Paraná. Esta visão foi destacada na Mostra da História da Indústria, instalada no hall de entrada da Assembléia e inaugurada antes da sessão solene no plenário da casa. A mostra conta um pouco das primeiras indústrias paranaenses.

Beneméritos

A federação entregou medalhas de Benemérito da Indústria do Paraná a família de três empresários falecidos: o ex-presidente da Fiep, Lydio Paulo Bettega, e Percy Isaacson e Bernardo Gapski. “Foram homens que lutaram para construir uma sociedade equilibrada e justa. Foram homens que abriram a oportunidade para o Paraná crescer e se tornar o que é hoje”, resumiu João Paulo Bettega, filho de Lydio Bettega, que falou em nome dos homenageados.

No mesmo evento, foi realizada uma homenagem aos funcionários mais antigos da Federação: Marli Rudek, Mariano Rodrigues do Carmo e Milton Ferreira Amaral.

O presidente da CNI, Armando Monteiro, também homenageou o empresário Claúdio Petrycoski, com a entrega da Ordem do Mérito Nacional. “A criatividade e a capacidade de luta de Petricoski traduz o esforço de todos os empresários modernos brasileiros, que pensam além da sua atividade industrial, visando também a responsabilidade social e o desenvolvimento de sua comunidade”, diz.

Biblioteca

No dia de fundação da Fiep, as comemorações começaram com a inauguração da Biblioteca Saul Zugman. O local recebeu o nome do empresário, como uma homenagem pela sugestão dele, de reativar a biblioteca, após oito anos fechada. “É muito importante a abertura de um espaço que ajuda a enriquecer e propagar o conhecimento, em um País com poucas livrarias e bibliotecas abertas à população”, afirmou o diretor da Biblioteca Pública do Paraná, Cláudio Fajardo.

Para Zugman, o livro é muito importante para que as pessoas possam crescer. “Não pude terminar o colegial, mas pelos livros que li me tornei o que sou. Os trabalhadores também precisam dessa oportunidade”, acrescenta o empresário.

Após o lançamento da Biblioteca, a Fiep foi homenageada na Assembléia Legislativa. Uma sessão solene foi proposta pelo líder do governo, o deputado estadual Natálio Stica (PT).