O Instituto Aço Brasil (IABr) poderá rever a projeção para a alta do consumo aparente de aço neste ano, caso o Produto Interno Bruto (PIB) cresça menos de 3,7% em 2013. O IABR anunciou, nesta terça-feira, 7, projeção de alta de 4,2% no consumo aparente de aço no Brasil, atingindo 26,2 milhões de toneladas.

“Estamos trabalhando com um crescimento do PIB de 3,7%. Mas o que se verifica neste momento são revisões nas projeções de crescimento”, afirmou o presidente executivo do IABr, Marco Polo de Mello Lopes.

Com a projeção de alta de 4,2% no consumo aparente, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) na indústria siderúrgica como um todo cresceria de dois a três pontos porcentuais, chegando a 74% ou 75% neste ano. Mas o presidente do Conselho Diretor do IABr, Albano Chagas Vieira, destacou que o crescimento da utilização também pode ficar menor caso haja menos consumo interno.